Saiba mais sobre o Balanço Patrimonial

Compartilhe
Saiba mais sobre o Balanço Patrimonial

Para te ajudar a entender um pouco mais sobre o Balanço Patrimonial, nós da Astec Contabilidade preparamos este artigo assim como um vídeo para ajudar a entender mais sobre este assunto.

 O Balanço Patrimonial (BP) é como uma fotografia. É uma demonstração da posição de uma empresa onde estão listados os ativos, passivos e patrimônio da empresa em um determinado momento. Os saldos de suas contas revelam os acumulados da história da empresa, ou seja, entre saídas e entradas financeiras, o BP registra toda a vida da entidade e, através dessa demonstração contábil, o operador desses dados consegue revelar a saúde da Pessoa Jurídica.

O Balanço Patrimonial é uma das mais importantes demonstrações financeiras que o gestor deve acompanhar frequentemente. Gosto de ressaltar a “tríade” de demonstrações que qualquer profissional da área deve ter em mãos: Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE), que revela a lucratividade da empresas em determinado período de tempo, e o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC), que nada mais é do que a movimentação financeira pelo regime de caixa e, por fim, o Balanço Patrimonial, que centraliza, em seu escopo, informações dessas outras duas demonstrações. Por isso, uma contabilidade bem feita, as três declarações conversam entre si, uma respaldando a outra.

O BP, muitas vezes negligenciado pelos administradores de empresas, principalmente pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, tem sua obrigatoriedade prevista pela legislação brasileira. Não há o que se falar de uma empresa sem contabilidade atualizada, com os devidos lançamentos econômico-financeiros e com documentos hábeis que os comprovem. Tanto é que existem tipos societários de Pessoas Jurídicas que o Balanço Patrimonial deve ser publicado em jornais de grande circulação e no Diário Oficial, caso das Sociedade Anônimas.

Por outro lado, as Limitadas não devem negligenciar tal demonstração. É sabido e frequente os pedidos de que bancos, fornecedores, empresas públicas e diversos outros interessados peçam a posição, em determinado momento, do Balanço. Por isso, muitas vezes as empresas são pegas de surpresa, por depender de relacionamento com terceiros, de não manter escrituração contábil atualizada e desprovida de demonstrações mínimas para a saúde da entidade. Além do mais, não podemos deixar de mostrar a importância dessas informações para os próprios acionistas ou quotistas e autoridades fiscais, já que são documentos oficiais e com garantias jurídicas, desde que devidamente assinadas pelo contador responsável e o administrador.

Entendendo o Balanço Patrimonial

Antes de qualquer coisa, precisamos entender a seguinte equação:

Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido

Cada entidade terá modelos e formatos diferentes de demonstrações, sempre fidedignas a realidade da atividade e ao momento em que a empresa vive. Entretanto, a equação acima é uma máxima que deve ser seguida, para que as demonstrações se intercomuniquem e revelem a posição patrimonial daquela Pessoa Jurídica. As contas do BP são listadas, inexoravelmente, nessas 3 grandes contas e subdivididas em rubricas mais específicas, demonstrando a verdadeira natureza de cada direito e obrigação financeira.

Como os ativos são organizados?

De acordo com a Lei 11941/09, o ativo pode ser classificado em dois grupos principais. Os ativos são tipicamente organizados em Ativos Circulantes, que contém contas com alta liquidez e Ativos Não-Circulante, com baixa liquidez, não podem ser rapidamente convertidos em dinheiro, como terrenos, edifícios e equipamentos, além dos ativos intangíveis que são de difícil mensuração. Isso inclui itens como contratos de franquia, direitos autorais e patentes. Os ativos são as aplicações de recursos compreendidas basicamente como bens e direitos.

Em suma, os dois grandes grupos têm as seguintes características:

  1. Ativo circulante: O ativo circulante é o conjunto de contas relacionadas que descrevem todos os bens e direitos da empresa. Estes podem ser disponibilizados financeiramente no momento do balanço, ou a curto prazo, a partir do levantamento de sua existência e pode ser acessada em até 360 dias.
  2. Ativo não circulante: Os ativos não circulantes são todos os bens de permanência duradoura. Eles possuem a finalidade de funcionamento normal a serviço da sociedade e do empreendimento, assim como os direitos exercidos com essa finalidade e é composto por subgrupos como:
  • Ativo realizável a longo prazo;
  • Investimentos;
  • Imobilizado;
  • Intangível.

O que são os passivos?

Os passivos se referem aos saldos de obrigações devidas pelo negócio e são divididos em categorias de curto e de longo prazo. O passivo circulante possui o vencimento de um ano e inclui itens como contas a pagar, salários, deduções de imposto de renda, aluguéis de imóveis e equipamento, depósitos de clientes, dívidas, empréstimos, entre outros. Não podemos confundir essas contas do Passivo com as relacionadas nas despesas do Demonstrativo de Resultado do Exercício. Nesta, as despesas são lançadas mensalmente, por competência, independentemente de pagamento ou não. Como exemplo, deve-se sempre lançar, mensalmente, o valor de impostos sobre o faturamento daquele momento, mas caso eu não pague a guia de recolhimento, esse saldo se configurará no Passivo do Balanço.

Já os Passivos a Longo Prazo são aqueles que vencem após um período de um ano. Isso pode incluir passivos por impostos diferidos, qualquer dívida de longo prazo, como juros e contas de títulos, e qualquer outro passivo de fundo de pensão por exemplo.

O Passivo compreende as exigibilidades e obrigações, ou seja, aquilo que deve ser adimplido e é tratada como a “Origem dos Recursos”, já que é capital oriundo de terceiros (que não da própria empresa). Como dito, são contas de empréstimos bancários, impostos que devem ser repassado ao Governo e, até, capital dos sócios (conta de Capital Social). Em resumo:

 

  1. Passivo Circulante: é onde são registradas as obrigações que serão exigidas no prazo de um determinado período, normalmente no prazo de 01 (ano) ou de acordo com exercício social da entidade.
  2. Passivo não Circulante: é onde são registradas as obrigações e serão exigidas a longo prazo, ou seja, após o período de 360 dias.
  3. Patrimônio Líquido: é a diferença entre ativo e passivo. O patrimônio Líquido é constituído pelo capital social, pelas reservas de capital, ajustes de avaliação patrimonial, reservas de lucros, ações em tesouraria e prejuízos acumulados.

Preciso de um contador?

O contador é um especialista, por ser um especialista e conhecer profundamente desses assuntos o contador é crucial para sua empresa, ajudando você a economizar e manter sua empresa nos pormenores da lei, evitando problemas com as autoridades legais e fiscais.

Você também pode revisar o Balanço Patrimonial com seu contador após quaisquer alterações importantes nos seus negócios.

O trabalho do contador é fundamental para a organização e o planejamento financeiro da sua empresa. Um Balanço Patrimonial, juntamente com a Demonstração de Resultado do Exercício e Fluxo de Caixa, é fundamental para ajudar você, empreendedor e investidor a obterem as informações financeiras sobre suas empresas e organizações. O objetivo de um BP é dar às partes interessadas uma ideia clara da posição financeira da empresa.

Dúvida sobre este assunto? Fale com quem entende!

Se você leu este conteúdo e ainda assim precisa esclarecer mais alguns detalhes sobre “Balanço Patrimonial”, entre em contato conosco preenchendo o formulário abaixo ou contatando-nos pelo WhatsApp. Você também pode conferir o vídeo que preparamos sobre o tema em nosso canal no Youtube.

Fale com um escritório de contabilidade